segunda-feira, 19 de julho de 2010

Acordos setoriais podem ser solução para o desengessamento de Paraty e Região

Entre dos dias 7 e 10 de julho Vereador Vidal participou das discussões do Acordo de Pesca da Baía de Ilha Grande, realizado em Mangaratiba, Ilha Grande, Angra dos Reis e Paraty, promovido pelo Ministério da Pesca e Aqüicultura para lançamento do projeto executivo com objetivo de criar uma regulamentação que atenda às necessidades dos pescadores de todas essas regiões, e minimizar os conflitos existentes no setor.

Esses encontros resultam de um ano de negociações, completados em 30 de junho, entre o Ministério da Pesca e Aquicultura, Fiperj, e demais órgãos ligados à pesca dos municípios que compõe a Baía de Ilha Grande, onde foram levantados os principais problemas do setor.

Com a execução do projeto, os órgãos envolvidos visam resolver uma série de questões que tiram o sono de todos que vivem direta ou indiretamente da pesca, como a conciliação do turismo com a pesca, questões ligadas à pesca industrial, predatória e artesanal, preservação ambiental e desenvolvimento, construções irregulares nas costeiras entre outras.

“Adequar os problemas à realidade de quem sobrevive da pesca e do caiçara, levando em conta sua condição, nesse mar de leis, órgãos e donos é o principal objetivo do acordo de pesca, é uma luz no fundo do túnel para que todos os envolvidos encontrem uma solução real para problemas que a lei criou mas não sabe resolver”, sintetiza Vidal ao se referir ao acordo de pesca.

Essa iniciativa já está se colocando como alternativa viável a diversos outros tipos de conflitos. Em 9 de julho, o IBAMA reuniu-se com diversos órgãos afetos ao Meio Ambiente com objetivo de criarem uma comissão para estabelecerem bases para um acordo ambiental nos moldes do acordo de pesca.

Para viabilizar a execução do programa, o Deputado Federal Luís Sérgio, destinou emenda no valor de R$ 250 mil.

Vidal e Jorge Babu conseguem dois ônibus escolares para Paraty

Dia 23 de Junho, em Angra dos Reis, o Governo do Estado premiou os melhores alunos de Angra e Paraty com notebooks e doou dois ônibus para o transporte dos estudantes da Zona Rural de Paraty, no valor de R$ 500 mil. O que poderia ser interpretado como uma ação para desenvolvimento da educação em Paraty, acabou se revelando um movimento para ofuscar a iniciativa dos responsáveis pela doação dos ônibus para Paraty.

A doação dos dois veículos só foi possível devido à Indicação Legislativa 972/2010, de autoria do Deputado Estadual Jorge Babu, a pedido do Vereador Vidal, em 10 de março desse ano, entretanto nem o Vereador, nem o Deputado Jorge Babu foram comunicados da doação, tendo sido atribuído a emenda ao Deputado Paulo Melo, num flagrante desrespeito à iniciativa dos dois parlamentares.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Vereador Vidal vê progresso da Ampla depois de audiência pública

Depois da Audiência Pública, realizada em 08 e Março do corrente ano no Salão Nobre da Câmara Municipal de Paraty para tratar de precariedades no fornecimento de energia elétrica, ocasião em que ficou firmado um Termo de Compromisso entre a AMPLA, entidades governamentais e as comunidades envolvidas a partir de suas demandas e por iniciativa da Comissão de Defesa do Cidadão e do Meio Ambiente, presidida pelo Vereador Vidal, as melhorias firmadas no Termo de Compromisso já estão sendo realizadas pela AMPLA, melhorando o fornecimento de energia elétrica em todo município.

Foram realizadas diversas reuniões com as lideranças e moradores das regiões envolvidas de São Gonçalo, Corumbê, Barra do Corumbê, Barra Grande,Graúna, Ponte Branca, Pantanal, Trindade dentre outras, localidades que apresentaram maior problema de abastecimento.

Com base no diagnóstico realizado, a AMPLA está executando serviços de podas em todas as árvores que incidem sobre a rede elétrica do Município de Paraty e a troca de rede, cabos e de transformadores.

A comunidade da Graúna foi a primeira a ser beneficiada. As próximas serão: Trindade, Ponte Branca, São Gonçalo e Barra do Corumbê.

A empresa pede o apoio da população para que não plantarem árvores embaixo ou perto de rede elétrica uma vez que o fornecimento de energia elétrica fica prejudicado quando os galhos das árvores esbarram na fiação e desarmam os transformadores. Pede também a compreensão da sociedade pelo corte de luz quando apoda estiver sendo realizada.