terça-feira, 13 de setembro de 2011

Carta do Vereador Vidal aos paratienses sobre a praça da Matriz, outras obras na cidade, cais flutuantes e seu Projeto de Lei a respeito.

Prezados munícipes:

Praça da Matriz

Na qualidade de legislador, não posso me eximir da responsabilidade como representante da população na Câmara Municipal e tenho acompanhado as discussões sobre a praça da Matriz, sempre buscando uma solução para o caso.

O primeiro passo foi participar da mobilização para a apresentação do projeto da obra, na Casa da Cultura, dia 17/8 e garantir o diálogo entre as partes, pedindo que vocês fossem ouvidos pela Casa Azul, pelo Iphan e pela Prefeitura Municipal.

No entanto, tenho recebido uma série de questionamentos sobre as reuniões posteriores a essa, quando um Grupo de Trabalho formado pela Casa Azul no dia 18/8 analisou aspectos do projeto de 22 a 26/8.

Entre esses questionamentos está o do Movimento Amamos Paraty, que faz oposição à obra, cujos integrantes alegam ter sofrido constrangimentos da Casa Azul, durante sua participação nessas reuniões, por discordarem do projeto.

Recebi desse movimento um relatório sobre seus questionamentos e solicitei que me encaminhassem depoimentos individuais sobre esses constrangimentos. À Casa Azul, solicitei que me enviassem atas, listas de presença e outros documentos, para que eu pudesse avaliar a situação e tomar uma decisão a respeito.

Ao mesmo tempo, protocolei e aprovei requerimento, na Câmara, para intervir nesse processo e apurar os fatos. A ambas as partes declarei que, diante dessa divergência, eu realizaria uma acareação e, em seguida, formalizaria uma audiência pública, para encaminhar à deliberação da Justiça um parecer em nome do Poder Legislativo.

Digo a todos que essa obra da praça não está em meu rol de prioridades, pois recursos como esses poderiam ser gastos em projetos mais importantes, de que a cidade necessita e que vão desde uma quadra de skate para crianças e jovens até um teatro, um centro cultural, uma casa de música, um museu marinho, um centro de convenções e vários outros, de recuperação de dependentes químicos, de estudos ambientais, de formação e qualificação profissional.

Em relação a determinações legislativas para essa intervenção nessa praça, afirmo que o projeto não obteve aval nem aprovação desta Casa e tampouco fomos consultados a respeito da obra. Dela fiquei sabendo, como todos os cidadãos, por uma placa afixada no local, no ano passado e depois retirada sem explicação.

Mas, já que essa obra tem verbas direcionadas, vamos ver o que é possível fazer, de forma justa e satisfatória para todos. Precisamos ser justos e coerentes em nossas ações e o legislador deve agir não somente pela emoção, mas também pela razão.

Outras obras

Mas a obra da praça da Matriz não é a única realizada por este governo, que passa por cima da população, ao não convocar os munícipes para avaliar suas iniciativas e fazer alterações nos projetos.

Entre essas obras, a estrada do Paraty-Mirim, está abandonada até hoje, sem chamar a comunidade para discuti-la. O hospital de Paraty foi erguido num péssimo local, próximo ao rio e agora a Prefeitura está aterrando o terreno, porque o edifício está abaixo do nível do solo e ninguém sabe o que fazer.

A escola Pequenina Calixto foi construída numa avenida movimentada, com risco para a entrada e saída das crianças e agora querem construir outra avenida, paralela a essa. Também há as obras da avenida Roberto da Silveira, do rio Patitiba e do asfalto e da rede de água do Corisco, iniciadas sem qualquer reunião para ouvir as reivindicações da comunidade. E também as do morro do Jacu e da Ponte Branca, cujos custos ninguém conhece e que, a todo momento, são sacudidas por denúncias.

Cais flutuantes

Como parte das atitudes que este governo toma sem dar a menor satisfação à população, agora estão sendo colocados diversos cais flutuantes junto aos já existentes na cidade. Um deles está à cabeceira do cais do Centro Histórico, cujo madeirame foi abandonado sem reparos.

Todos esses flutuantes são alugados da mesma empresa, a Infra-Par, de propriedade de um empresário que, no ano passado, lançou um jornal com pesadas cobranças à Prefeitura, mas o fechou no terceiro número e, agora, presta serviços a ela, vencendo todas as licitações da área náutica.

O flutuante do Centro Histórico custa R$ 250 mil a cada oito meses ou cerca de R$ 30 mil mensais. Dinheiro que, em um ano, daria para fazer todas as reformas necessárias no cais fixo.

E, agora, a Prefeitura vai colocar outros iguais, ao mesmo custo, nas comunidades da zona costeira e os próximos estarão na Praia Grande, na ilha do Araújo e no Saco do Mamanguá.

Projeto de Lei

Diante da falta de respeito à população pela imposição dessas obras, estou formulando um projeto de lei que obriga o Poder Executivo e as iniciativas privadas que tiverem seu aval a realizar consultas à comunidade, através de audiências públicas, antes de iniciarem suas obras. E o mesmo projeto de lei diz que os projetos de construção, reforma e restauro devem passar por concurso público, de forma democrática, como acontece em outros municípios.

Quero dizer aos munícipes que podem ficar tranqüilos e contar com a participação e a colaboração deste representante nas preocupações de todos quanto a obras realizadas na cidade. Estou à disposição de vocês. Fiquem à vontade para me visitar Câmara e/ou para solicitar a minha presença nas reuniões que se fizerem necessária para discutir suas reivindicações.

Para maiores informações, usem os telefones (024)3371-7513 / 9945-2031 / 7835-3170 / ID: 12*1004912.

Bons ventos para todos.
Vereador Luciano Vidal

36 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Vereador Vidal:
Se existisse na Câmara de Vereadores pelo menos 3 ou 4 iguais a você, a nossa cidade não estaria tão bagunçada como se encontra no momento.
Pena que a sua luta é solitária sem o apoio dos demais Vereadores.
Espero sinceramente que a população da nossa cidade esteja atenta as suas iniciativas e não se esqueçam quando estiverem diante das urnas na próxima eleição.
Parabéns por estar realmente trabalhando a favor dos munícipes em todos os segmentos.
Abraços cordiais.

Anônimo disse...

Valeu Vereador!!! Paraty é uma pérola e precisa ser muito bem cuidada por todos nós...
Abraço, Eliana Lustosa

Anônimo disse...

Até agora acho que a população de Paraty, nem sabe direito quais são as funções que esta instituição denominada casa azul oferece a Paraty, porque ela foi criada com o proposito de administrar a FLIP, e era voltado para a parte educacional, então porque ela esta enfiada em obras?O Sr. pode nos informar melhor qual o papel da casa azul, o reza o documento da criação dela? quanto a escola pequenina calixto, isto é par favorecer o Tymur porque aquela Área era dele, e ele tem um privilegio na prefeitura pelo que o povo d e Paraty comenta, então sendo assim infelizmente eles não vão ver o melhor para as nossas crianças, você realmente é um politico correto, pena que os outros que compõe o órgão que você serve, infelizmente são situação, não pensam na linda Paraty, a população tem que parar com esta mania d e jeitinho e dar a resposta na urna pela melhoria da nossa cidade, e que Deus te de muita segurança para lutar com esta turma.

Anônimo disse...

Caro Anônimo das 12:57: a Casa Azul ganhou uma concessão da Prefeitura para explorar comercialmente a borda d'água de Paraty, sob a condição de urbanizá-la. Aí, ela inventou a Flip, um evento-vitrine que lhe deu cacife político para chegar ao mega-financiamento público necessário para isso. E está louca pra terminar logo essa praça, porque a concessão que ganhou expira em dezembro deste ano. Sacou?

Ana Paula disse...

Fico feliz em saber que o caso da Praca da Matriz venha ao menos ser averiguado e discutido na camara, ser reconsiderada certas mudancas no total conteudo do projecto em conjunto e bem comun, que na verdade nao condiz com o local historico seria a ideal solucao.

Anônimo disse...

" Prezado Vereador,

Com relação aos concursos, qual o critério para selecionar quais projetos seriam submetidos a esta modalidade de licitação? Cabe lembrar que a prefeitura já possui corpo técnico, e que concurso implica em premiação...

Em tempo, quais prefeituras aplicam este procedimento, e para que tipos de projeto?

Quanto à audiência pública (à qual tenho simpatia), novamente coloco a questão: para que tipo de projeto? Nos processos de licenciamento, por exemplo, nem todos os processos são submetidos à audiência pública, apenas aqueles com necessidade de elaboração de EIA-RIMA.

Concordo com V. Sa. no que tange à questão da participação popular, e temos tido o cuidado de apresentar os projetos sob nossa responsabilidade às comunidades, tais como a Escola de Trindade e o Posto de Saúde do Pouso da Cajaíba.

Aproveito ainda o ensejo para solicitar seu apoio, bem como desta Casa Legislativa, na reativação do processo de reconstituição do COMDEMA (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente), que se encontra paralizado.

Atenciosamente,

Arq. Leonardo Xavier "

Antonio disse...

Querido vidal.
Entendo sua legislatura, como sendo de 90% de transpiração e somente 10% de inspiração. Acredito que apesar de dar valor a atitudes originais e eufóricas vc deve ponderar mais as palavras e atitudes, a aprender a ler e estudar um pouco mais sobre os assuntos que irá falar.
entenda isso como uma critica construtiva...

Anônimo disse...

Vereador olhe o novo blog abaixo pois fala da rejeição sobre o projeto da praça e também deixa claro que a casa azul tem a função voltada para o turismo, educação, enfim para eventos e não para realizar obras, isto esta parecendo apenas para pegar dinheiro publico.

http://amamosparaty.blogspot.com/

Anônimo disse...

com relação ao arquiteto leonardo xavier, o concurso público de projetos abre para a participação democrática de arquitetos e urbanistas e evita as panelinhas de apaniguados da administração - inclusive em conselhos chapa-branca, cuja função é distribuir as verbas oficiais entre os amigos e fechar o caminho dos desafetos. quanto à audiência pública, tem que existir para qualquer projeto que altere o centro histórico da cidade. o resto, meu amigo, são filigranas de quem quer complicar as soluções, para tudo continuar no descalabro em que está.

Anônimo disse...

Queria dizer ao anonimo das 14:50 que a FLIP não foi uma invenção d acasa azul, mas sim um evento idealizado pelo Liz Calderem 2003 e foi inspirada em eventos similares de cidades do exterior, portanto a casa azul apenas administra este evento, então gostaria de informar que sei bastante sobre a FLIP, a população de Paraty sabe,e as informações tecnológicas(internet) informa também, concluindo colega não adianta tentar mascarar nada.

Anônimo disse...

prezada ana paula: o projeto da casa azul para a praça da matriz não tem que ser averiguado, nem discutido, nem reconsiderado. é isso que a casa azul quer, para montar outro grupo de amigos e aprovar seu projeto com alterações cosméticas. esse projeto tem que ser liminarmente rejeitado, por uma razão muito simples: nós queremos a praça como é, exceto por rampas de acesso para os deficientes. e isso é trabalho para a secretaria de obras, não para a casa azul.

Anônimo disse...

Ao Anônimo das 20:10: a flip é uma invenção da Casa Azul, sim, para dar início, por outra via, a seu projeto maior, que é a urbanização da borda d'água. Quem reconhece isso é o próprio pessoal da entidade. Além disso, a Casa Azul não apenas administra a flip, mas essa é sua principal fonte de renda, à base de 8-10 milhões de reais por ano; cifra estimada, porque essa entidade é uma caixa preta, que jamais prestou suas contas a quem lhe dá o dinheiro, que somos todos nós. Portanto, não sou eu quem está mascarando, parceiro.

Anônimo disse...

O leitor anônimo que indicou o blog do Amamos Paraty tem razão. Não há dúvida de que a Casa Azul está se metendo em obras para papar dinheiro público. E muito. A praça vai se estender pelo estacionamento ao lado da Matriz, atravessar o rio Perequê e avançar até a porta da Santa Casa, que eles ganharam do Prefeito. Depois, vai se ligar à Borda d'Água, que eles vão implantar. Além disso, eles já pensam numa biblilteca junto à Santa Casa, uma praça-biblioteca na Mangueira e até num pontilhão sobre o Perequê para os autores da Flip. Só que não é só em obras que eles ganham dinheiro público. A Flip custa, em quatro dias, o mesmo que a Virada Cultural do interior de São Paulo, que dura quinze, com dezenas de grupos musicais. A Flipinha tem 1,2 milhão de verba por ano, que daria para fazer muita coisa, numa cidade onde o salário dos professores é miserável. Mas para onde vai essa grana? É o chamado projeto-Conceição: o resultado, ninguém sabe, ninguém viu...

Anônimo disse...

Queria dizer ao anônimo de 13 de setembro de 2011 20:10, que a Casa Azul viu na realização da Flip a oportunidade de implantar seu projeto grandioso (para eles) do borda d'água. Quanto aos projetos... A flip vem decaindo a cada ano, é um evento para editoras. Quanto aos outros projetos o que vemos é a Casa Azul se utilizar da visibilidade para fazer os professores, por exemplo, trabalhar para eles colherem os louros. Para intimidar a população e autoridades com a retirada da flip de Paraty. Esquecem que o charme da flip reside no espaço em que ela está inserida: Paraty.
Ademais é de se estranhar essa ong ganhar todo e qualquer projeto na cidade. Estão em todos os lugares gerenciando e se valendo de informações privilegiadas. Enfim, a função de prefeitura está sendo exercida pela ong Casa Azul, na Santa Casa que já estão fazendo seu centro cultural, no entorno da praça porque já dão como certa a obra da praça com o projeto de seu presidente que aliás coloca que é o embrião do projeto borda dágua que eles detem a concessão. Só que há um ponto que devemos atentar: nós não votamos na Casa Azul para prefeito, tão pouco para vereador. Façam uma pesquisa sobre a Casa Azul no google e seu diretor. No site do escritório dele em São Paulo ele se coloca como responsável pela revitalização dos espaços públicos da borda dágua de paraty.

Anônimo disse...

A Praça da Matriz é nosso símbolo. Estamos estarrecidos com esse projeto que não conhecíamos, não apoiamos e não queremos.
Parabéns vereador por chamar para Audiência Pública por não seremos pegos de surpresa como fomos e votaremos contra esse projeto que descaracteriza o Centro Histórico.
Parabéns por estar do lado da população Vereador

Anônimo disse...

Primeiramente eu gostaria de dar meu muito obrigado ao Vereador Vidal, pois teve coragem e demonstrou estar do lado da população e não de uma OCIP que gasta milhares e milhões de dinheiro público para satisfazer interesses particulares, ou seja, é a Casa Azul se apropriando de verba pública visando benefício próprio.
O projeto não possui transparência, não tem legitimidade, pois não foi apresentado para a população, não agrada a população municipal e tão pouco tem urgência para se realizado.
A Casa Azul através de seus funcionários vai entrando em associações de moradores, ongs e etc para assim estar presente em tudo que acontece em Paraty, ela vai pegando toda e qualquer licitação, participando de grandes eventos para então poder armar seu jogo da melhor forma possível. Eles irão ganhar muuuuuuito dinheiro com o projeto Borda D'agua, será gasto dinheiro público para construir este projeto faraônico do arquiteto Mauro Munhoz e depois ele irá explorar toda a região pelo período mínimo de 15 anos, ele não esta visando o benefício da população, ele visa sua conta bancária, ele quer é ficar rico e famoso nas custas do Paratiense, e para isso ele usa a Casa Azul e seus funcionários, pagos com verba FEDERAL... absurdo...
Eu quero ver todo paratiense ficar feliz quando começar a pagar para entrar e sair de nossa baia, e esse dinheiro será pago para o Mauro Munhoz/ Casa Azul... ABSURDO!!
Quem tem boas idéias e bons planos para a população de uma cidade não tenta lucrar, faz por amor...
Eu amo muito minha cidade e não quero um governo paralelo, já temos nossos vereadores e nosso prefeito para cuidar do governo municipal, e exatamente por isso eu digo... NÃO a Praça da Matriz, NÃO a Casa Azul, NÃO a Mauro Munhoz, NÃO ao projeto Borda D'agua...

Anônimo disse...

Parabéns anônimo de 14 de setembro de 2011 7:30. Falou tudo.

Anônimo disse...

A solução para uma auditoria nas contas , nos projetos e tudo que a casa azul visa em Paraty, é o Ministério Publico, a Policia Federal e os outros órgãos judicias atuarem e verificarem,mas tem que ser uma justiça comprometida com a transparência é isto que a população espera.

Anônimo disse...

Concordo com vc anônimo 14 de setembro 8:52 isso mais parece caso de polícia e Ministério Público.
Como o IPHAN concordou com esse projeto? A Câmara pelo jeito não sabia como nós população também não. Esquisito isso.........

Anônimo disse...

Parabéns vereador, mostra que tem honrado os votos de seu eleitorado. Espero que continue assim, ao lado do povo e não dos poderosos, como a maioria dos políticos faz.

Anônimo disse...

Parabéns anônimo de 14 de setembro de 2011 7:30.
nao a obra da praça da matriz !!!

Anônimo disse...

Quanto ao que o Anônimo disse em 13 de setembro de 2011 20:09, tenho a esclarecer que:

"com relação ao arquiteto leonardo xavier, o concurso público de projetos abre para a participação democrática de arquitetos e urbanistas e evita as panelinhas".

NESTE CASO ESPECÍFICO, ESTA INFORMAÇÃO (OU DESIFORMAÇÃO) NÃO PROCEDE, POIS SOU ARQUITETO CONCURSADO, OU SEJA, DESENVOLVER PROJETOS NO MUNICÍPIO ESTÁ DENTRO DAS MINHAS PRERROGATIVAS;

"...inclusive em conselhos chapa-branca, cuja função é distribuir as verbas oficiais entre os amigos e fechar o caminho dos desafetos."

NO QUE TANGE AO COMDEMA, NOVAMENTE HÁ EQUÍVOCO NA INFORMAÇÃO, JÁ QUE SE TRATA DE CONSELHO FORMADO PELAS ESFERAS ESTADUAL, FEDERAL E MUNICIPAL, BEM COMO PELA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA, E SE ENCONTRA PARADO JUSTAMENTE POR DESINTERESSE DA "CHAPA-BRANCA";

"...quanto à audiência pública, tem que existir para qualquer projeto que altere o centro histórico da cidade..."

EM TEMPO, A LEGISLAÇÃO PREVÊ ESSE PROCEDIMENTO?

"...o resto, meu amigo, são filigranas de quem quer complicar as soluções, para tudo continuar no descalabro em que está."

SEM COMENTÁRIOS...

Atenciosamente,

Arq. Leonardo Xavier (o que dá a cara a tapa!)

Anônimo disse...

Vereador Vidal, boa noite,

Venho por meio deste comentário agradecer seu posicionamento, e pelo seu empenho em representar sua população, que te elegeu, de forma correta, legítima e democrática, prevista na carta magna, nossa Constituição Federal de 1988.
Quero também falar do meu enorme descontentamento e desgosto para com a Casa Azul/Mauro Munhoz, este projeto é agressivo, ilegítimo, ditatorial, imoral, desarmonioso, e para resumir, não possui nenhuma identificação com a população paratiense e principalmente com o conjunto arquitetônico da tão amada cidade de Paraty.
A popualação pede socorro e principalmente seu empenho em parar esta obra e levar este absurdo ao Ministério Público, pois trata-se de verba pública empregada de forma inadequada, no coração de uma cidade amada, por todos, e acima de tudo tombada pelo Governo Federal, e que pretende tornar-se patrimonio da Humanidade.
Este projeto não foi apresentado, não foi aprovado, não foi divulgado, não possui legitimidade, não teve seu custo divulgado, não possui clareza e acima de tudo não é desejado pela maioria da população.
Os únicos interessados são: FAMILIA CASA AZUL!!!
Peço sua intervenção imediata.

Grato por seu empenho e compreensão!!!

Adalberto Levy Munhoz - apaixonado por Paraty!!!!!

Anônimo disse...

caro leonardo xavier, se você não faz parte de panelinhas e luta pela participação de sua entidade nos destinos de paraty, estamos do mesmo lado. e, se você disser não ao jardim francês do mauro, será o começo de uma bela amizade...

Anônimo disse...

Cidadão de 14 de setembro das 17:25h, Sr. Adalberto Levy Munhoz, por acaso o Sr.é parente do Sr. Mauro Munhoz que é responsável pela casa azul, ou é apenas uma grande coincidência, pois se for parente é estranho estra incentivando o vereador Vidal ir até o MP.

Movimento Amamos Paraty disse...

Por favor Vereador tenha uma reunião com a Sra Quelis presidente da Apae e ouça o que ela tem a dizer sobre todo este processo das obras na Praça da Matriz.
Movimento Amamos Paraty

Anônimo disse...

Sr. Vereador Vidal,
O que tenho a dizer se estende à todos os vereadores desta casa que representa a sociedade paratiense: Precisamos de uma Audiência Pública!
Eu participei do grupo de trabalho realizado na Casa Azul e participei das reuniões na Casa de Cultura, mas continuo acreditando que não alcançamos o desejo de toda população.
Assim como falei nas reuniões que participei, repito:
NÃO SOU CONTRA A ACESSIBILIDADE!
NÃO TENHO PARTIDO!
NÃO TENHO NADA PESSOAL CONTRA NINGUÉM!
Sou a favor do melhor para minha cidade e, principalmente, que seja ouvida a voz da comunidade que dela faz parte (os cidadãos que utilizam a Praça da Matriz 365 dias por ano e que de 4 em 4 anos elegem seus representantes).
Gostaria, também, que todos tratem todos com respeito, e como o sr mesmo disse: utilizando da razão e não da emoção.
Agradeço pela atenção e acredito que todos os vereadores paratienses terão disposição para conhecer mais acerca deste projeto.

Abraços, Paula Nascimento.

Movimento Amamos Paraty disse...

O que temos a fazer agora Vereador é não discutir mais nada até porque ja vimos como a Casa Azul se comporta para defender seu projeto. Projeto este que nunca soubemos, nunca apoiamos e tão pouco queremos.
Audiência Pública legítima para que a população seja ouvida e paralização imediata desta destruição de nossa Praça.
Para acessibilidade, que somos a favor, bastam duas rampas e restauração do piso. E isso a prefeitura possui corpo técnico abalizado para fazer. Trata-se de obra barata. Não trata-se de verba de 800.000, pública (BNDES e ELETRONUCLEAR)para uma associação particular e um projeto de seu presidente.
A população neste momento levanta sua voz: queremos nossa Praça da Matriz como ela é, linda, aconchegante que carrega nossos hábitos, lembranças e amor, e que a Casa Azul pretende destruir de forma prepotente nos impondo seu projeto.

Anônimo disse...

Movimento Amamos Paraty, eu já tenho uma idade considerável e posso afirmar que vi o embrião desta praça, inclusive já vi ate algumas mudanças nela, pois antes era bem diferente a prefeitura nunca se mobilizou para retornar como antigamente, minha opinião seria, você que são de organização enviarem um oficio ou algo parecido para a Eletronuclear e para o BNDS porque eles são órgãos que enviam o dinheiro e nem sabem como são administrados aqui, e comentem sofre este projeto, também da insatisfação da população e informem a eles qeu a população vai dar entrada no Ministério Publico, ai vocês vão ver o rebuliço que ira gerar, talvez eles mesmo desistem de patrocinar este projeto e a casa azul que não é órgão de obras e sim de FLIP vai cair do cavalo, quem tem que atuar é órgão da justiça encima deles, porque ele estão muito com as asas pra fora e nãos erá audiência publica que vai resolver, até porque a população esta descrente de tudo, porque sempre é a vontade dos grande que permanecem, isto só se resolverá no ano de 2012 quando sair este governo que esta ai fazendo o que querem enfiando goela abaixo dos Paratienses.

Anônimo disse...

Movimento Amamos Paraty, também não vi adiantar a espera da solução no vereador Vidal, pois o mesmo foi convidado pela casa civil para exercer o cargo de Superintendente da Pesca do Estado do RJ, isto mostra que realmente ele era um politico competente,corajoso e determinado, para ser convidado para uma esfera Federal, no lugar dele entrara o Tekinho que é funcionário da Prefeitura, será que ele será situação ou oposição, porque ele é do partido do Vidal e quando são eleitos deveriam pensar na população, mas la dentro todos viram situação, ai ganha sempre o Prefeito, porque não tem ninguém para fazer cobrança, apenas aceitam e assinam tudo que o Prefeito determinar, perde quem? os Paratienses!!!

Movimento Amamos Paraty disse...

Nós do Movimento Amamos Paraty estamos empenhados nesta luta, levando a voz da maioria da poupulação a todas as esferas competentes, pois queremos que a praça fique como ela é e que tanto amamos. Quanto aos patrocinadores conclamamos a população que mandem emails pela ouvidoria destas instituições contando de sua opinião, afinal a Casa Azul alega para eles que possui o apoio da comunidade paratiense. Alega inclusive que se trata de obra de restauro quando na realidade é uma reforma que nem é 1920, 1945 e tão pouco a praça atual. O proprio arquiteto afirma: com a liberdade de criação para adaptá-la a contemporaneidade.
Quanto a Audiência acreditamos que se a comunidade está insatisfeita e indignada por ver seu maior símbolo sendo modificado irá sim dar seu voto contra esse desmando.Acreditamos na comunidade paratiense. Estamos ouvindo sua voz e sua insatisfação.
Se nada fizemos foi tão somente porque fomos pegos de surpresa com uma obra da qual nenhum de nós tinha conhecimento tão pouco aprovou.

Anônimo disse...

Movimentos Amamos Paraty, porque vocês não entram no Ministério Publico contra a Casa Azul,ate porque nossa cidade tem Secretaria de Obras, e a Casa Azul não é para realizar obras, ela está só pegando carona para nadar no dinheiro publico,deve ter interesse politico por tras disto tudo, deve estar vazando ganhos para muitos.

Anônimo disse...

Movimento Amamos Paraty, vocês também deviam analisar o Paraty Convention & Visitors Bureau, que esta ganhando muito dinheiro publico, leiam la no blog do zé pital, qual a função dele , e o que eles estão fazendo,e vocês sabiam que O Dax faz parte dele e também trabalha para a Prefeitura, e se vocês verificarem nos comentários la do blog do Zé Pital, o Dax esta pedindo com urgência para o Zé Pital tirar o banner dele do blog do zé pital, será porque? estranho este pedido, vocês também deveriam se preocupar com esta situação e não só com a praça, porque também envolve dinheiro publico, de impostos que pagamos caros.

Anônimo disse...

2 comentários:
Dax Goulart disse...
FAVOR RETIRAR COM URGÊNCIA O MEU BANNER DESTE BLOG.
18 de setembro de 2011 12:04
Zé Pital disse...
Caro amigo, desculpe o incômodo, estarei retirando o banner de blog do meu.

Anônimo disse...

Toda essa movimentação entorno da praça da matriz tem trazido grandes reflexões que nos leva a pensar nas grandes incoerências diante desse projeto de revitalização da praça. Paraty tem tantas outras necessidades básicas a serem cumpridas que não sabemos se vale a pena gastar dinheiro com a praça no momento. pense bem: esgoto vazando pela cidade histórica merece solução? Segurança pública no centro histórico merece solução? A rodoviária como cartão postal de paraty merece solução? As bolsas d'água formadas nas ruas quando chove merece solução? Atendimento qualificado ao público em Paraty merece solução? Crescimento populacional desordenados merece solução? É bem verdade que diante do desenvolvimento tecnológico o Ser Humano precisa ser privilegiado, entretanto isso deveria vir em projetos macro a partir da entrada do turista no portal de Paraty. Realmente não vejo prioridade na reforma da praça em paraty, pelo menos por enquanto. Se assim for, teremos de pedir autorização ao IPHAN para cimentar todo centro histórico para que as pessoas possam andar de salpato alto e tenho certeza que ele, o IPHAN não vai conceder. Imagine você uma pessoa cadeirante vindo da Rodoviária até a Praça da Matriz sem ajuda das pessoas. Por isso devemos pensar na visão Macro e não na visão micro. A não ser que o projeto contemple toda Paraty. Onde estão as estatisticas de cadeirantes visitando ou morando em paraty para validar tal projeto? Realmente há muito que se fazer em Paraty antes reformar praças.

Anônimo disse...

É TODO MUNDO PARABENIZANDO O VEREADOR, MAIS E AGORA QUE SE VENDEU PARA O PT, NINGUEM FALA NADA?????