sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Audiência Pública sobre a Precariedade do Sistema de Telecomunicações na Cidade de Paraty


Com grande presença da população, aconteceu hoje 06/12 a Audiência Pública sobre a Precariedade do Sistema de Telecomunicações na Cidade de Paraty. O aspecto negativo foi a ausência do Ministério Público e da ANATEL, as empresas: Oi, Embratel e Claro mandaram representantes e responderam as perguntas formuladas.

A principal causa de interrupção de sinal de telefonia foi atribuída ao rompimento de cabos de fibra óptica que passam por regiões de mata e seguem juntos com cabos da AMPLA. A solução foi prometida para breve com a instalação de um cabo extra paralelo que mantém o serviço caso o cabo principal seja partido.

O Prefeito Casé comentou que há 12 anos vem tratando da questão e com poucos avanços:

- Vamos para a justiça garantir o direito de um serviço eficiente, não estamos pedindo nenhum serviço especial ou de altíssima tecnologia. Pedimos o básico, queremos o direito de poder fazer uma ligação, disse o Prefeito.

Vereadores questionaram o funcionamento de Usinas Nucleares numa região com estas condições de comunicação. Em conjunto, estudam impedir a construção de Angra 3 enquanto perdurar esta situação. O objetivo é pressionar as operadoras e a agência reguladora para reforçar as ações legais que estão por vir.

Ao final foi assinado um Termo de Compromisso pedindo soluções a curto e médio prazo:

- É mais uma luta que estamos iniciando a exemplo do que foi feito em outras ocasiões onde a sociedade civil foi tratada de maneira desatenciosa. Câmara e Prefeitura alinhadas, trabalhando junto a Sociedade Civil Organizada, já mostrou ser uma formula de sucesso, revelou o Presidente da Câmara, Luciano Vidal.
Ver mais






Nenhum comentário: