domingo, 3 de julho de 2011

Ainda a Paraty-Cunha

Os órgãos ambientais têm dado licença para obras de alto impacto ambiental, como a usina nuclear de Angra 3, portos monstruosos de bacias petrolíferas e, mais recentemente, a usina hidrelétrica de Belo Monte. Mas continuam arrumando as maiores dificuldades para o asfaltamento de 10km da Paraty-Cunha. As exigências desses órgãos, nesse particular, vêm colocando a população de Paraty numa espera interminável pela reconstrução da estrada, fundamental para o turismo da cidade e, principalmente, como rota de fuga de um eventual acidente em Angra. Continuamos sem solução para essa pendência, tanto por parte do Ibama e do Pana-Bocaina/ICM-Bio como do Governo do Estado, através da Secretaria de Obras e do DER. Em audiência pública sobre esse tema, foram firmados acordos para dar andamento a esse processo e, caso não sejam cumpridos, dentro de trinta dias o vereador Vidal convocará uma reunião dos prejudicados, para mover uma ação pública. Veja, em Documentos, a reunião do Parque Nacional da Serra da Bocaina a esse respeito e a carta do chefe desse órgão ao vereador.

Nenhum comentário: