quinta-feira, 19 de maio de 2011

Cheiro de Calcinha Preta

Enquanto a cidade passa por necessidades urgentes em áreas como a saúde e educação, a Prefeitura gasta uma fortuna em shows para divertir os turistas, em feriados e eventos. Em 2010, a Sectur gastou quase 2 milhões em shows e fogos. Só os fogos ficaram em mais de 500 mil reais. E há enormes diferenças no orçamento dos shows, entre o edital da prefeitura e o preço cobrado pelos empresários. O Calcinha Preta cobra 80 mil reais por um show, mas o edital da Prefeitura diz que o preço foi 170 mil reais O Netinho cobra 44 mil reais por uma apresentação, mas no edital da Prefeitura fala em mais de 147 mil reais. Os shows do FestJuá, com cinco bandas locais, podem ter custado no máximo 10 mil reais, mas o edital fala em 56 mil reais. Várias empresas de fora também fazem essas contratações. Os contratos também são feitos sem licitação, alegando inelegibilidade, ou seja, que não hã nenhum outro prestador para aquele serviço. Mas isso vale para os artistas, que têm um trabalho único. Não vale para produtores, que são vários e que poderiam, muito bem, entrar numa concorrência, para a Prefeitura escolher o melhor preço. O vereador Vidal entrou com requerimento exigindo esclarecimentos e a documentação desses contratos. Se não tiver explicações, o assunto vai para o Ministério Público e o Tribunal de Contas.

Nenhum comentário: